Vivass - Assessoria e Comunicação

/ Blog / Blog

22 de novembro de 2021

Saiba como identificar e o que pode causar déficit de crescimento em crianças

Patologias ligadas ou não ao crescimento e até mesmo má nutrição influenciam na altura dos pequenos

As crianças precisam estar com a saúde em boas condições para crescerem adequadamente. Patologias, ligadas ou não ao crescimento, bem como a má nutrição e o uso prolongado de glicocorticoides, podem influenciar na estatura dos pequenos. Para auxiliar os pais, o endocrinopediatra, Júlio Cavalcanti, médico cooperado do plano de saúde Unimed João Pessoa, explica os sinais aos quais os responsáveis devem estar atentos e os tratamentos indicados. “É importante avaliar o crescimento da criança desde o seu nascimento até o fim da adolescência”, destaca.

Para acompanhar o crescimento e estado nutricional das crianças, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolveu um padrão internacional que calcula idade e variáveis como peso, altura e o perímetro da cabeça. “A identificação é feita por acompanhamento das medidas de antropometria, realizadas nas consultas de rotina com o pediatra. A evolução destas medidas é o melhor método para identificar os distúrbios do crescimento”, explica.

Algumas observações do cotidiano como “ser o menor da turma” ou “ser do tamanho do irmão mais novo” ou ainda “vestir roupas muito menores que as da sua idade” devem servir de alerta aos pais e merecem uma avaliação médica especializada. “De forma geral, as crianças devem ter uma altura parecida com a de outras de mesma idade e sexo”, explica Júlio Cavalcanti.

Tratamento — São exemplos de patologias que podem causar baixo crescimento a desnutrição, doença celíaca, problemas renais crônicos, fibrose cística, asma, cardiopatias congênitas, artrite idiopática juvenil sistêmica, neoplasias, e enfermidades endócrinas como o hipotireoidismo e a deficiência de hormônio de crescimento (GH).

Segundo o endocrinopediatra, o tratamento depende da causa. “Pode ser desde uma correção na alimentação e nutrição da criança, até um melhor controle de uma doença crônica, redução ou, quando possível, suspensão de seus medicamentos crônicos. Bem como o uso de hormônio de crescimento, quando este estiver indicado”, explica.

Apesar disso, o médico explica que nem todas as causas de baixo crescimento podem ser tratadas. Contudo, toda criança com baixa estatura, mesmo sendo filha de pais também com baixa estatura, deve passar por uma avaliação médica para tentar identificar a causa e, quando possível, fazer o tratamento.

Sobre a Unimed JP – Com 49 anos de tradição, a Unimed João Pessoa é uma cooperativa de trabalhos médicos que se consolidou como a melhor e maior operadora de planos de saúde da Paraíba. Além dos mais de 1,8 mil médicos cooperados, possui a mais completa rede de assistência médico-hospitalar privada do Estado. São diversos hospitais credenciados, sendo dois próprios – um deles referência em alta complexidade -, além de clínicas, prontos-socorros e laboratórios à disposição de 155 mil clientes. Comprometida com o desenvolvimento sustentável, é signatária do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). Tudo isso garante à Unimed JP a liderança absoluta no segmento de saúde suplementar no mercado paraibano.

Outras informações:

Instagram: @unimedjoaopessoa

LinkedIn: /company/unimed-joao-pessoa

Facebook: /unimedjoaopessoa

Twitter: @unimed_jp